Qualidade de Vida

Por que um especialista?

Qualidade de Vida - dezembro de 2016

Cada um na sua…. por que devo procurar sempre um especialista ??
Por que devo fazer a escleroterapia com um especialista?
Por que somente o angiologista e/ou cirurgião vascular são especialistas na doença varicosa e poderão diagnosticar corretamente o problema?
Quais os riscos de se fazer o procedimento com profissional não especializado?
Embora o método seja aparentemente simples, não está isento de complicações gerais e locais. Pior ainda quando não médico. Entre essas complicações estão: feridas (úlceras de difícil cicatrização), manchas escuras, flebites superficiais ou trombose venosa profunda (formação de coágulo em uma veia superficial ou veia profunda não esperadas). Apenas o médico especializado tem capacidade para tratar corretamente esse problema,
Quais são os tipos de tratamento para varizes?

Escleroterapia com substância líquida – É feita através da aplicação de uma injeção com produto esclerosante diretamente nas varizes.

Escleroterapia com espuma – consiste em aplicar uma substância esclerosante, em forma de espuma densa, diretamente nas varizes mais grossas,

Escleroterapia a laser – utilizada em associação com a escleroterapia líquida ou espuma. O laser trata as varizes por cauterização enquanto a escleroterapia líquida ou espuma trata por inflamação do vasinho.

Quais são as consequências de varizes não tratadas?

A doença varicosa, seja ela de que tamanho for, não pode ser considerada apenas um problema de desarmonia das pernas. Quando não tratadas, as varizes podem desencadear, ao longo da vida, sérios problemas de saúde. Entre esses, tromboflebites, tromboses venosas e até embolia pulmonar. Além disso, a doença venosa crônica pode, com o passar do tempo, levar ao escurecimento e até hemorragias.

MAS QUEM É ESSE ESPECIALISTA?

A angiologia tem seu início como ciência e arte quando os estudiosos das patologias cardiocirculatórias chegaram à conclusão de que era tarefa extremamente difícil e de pouca exeqüibilidade prática abarcar sob a mesma égide “cardiovascular” as doenças que acometiam a circulação venosa, arterial e linfática.

Dentro deste contexto, foi estabelecido que era necessário haver uma dicotomia entre as doenças cardiovasculares, as quais seriam subordinadas à cardiologia, e as demais enfermidades circulatórias à nova ciência denominada de “Angiologia”.

A Angiologia, portanto, tem sua esfera de ação nas doenças de fundo circulatório, procurando, ainda de modo arbitrário, excluir-se daquelas que envolvem o coração, estando sob sua égide as enfermidades que acometem as artérias, veias e os linfáticos.

Dentro de uma visão prática, pode referir, como exemplo, as doenças venosas, estando encabeçando as mesmas as varizes dos membros inferiores, tromboses, úlceras e as telangiectasias ou microvarizes.
As doenças das artérias têm sido motivo de muito estudo. A arteriosclerose, nas suas diversas formas e localizações, tem sido a prima dona dentro deste contexto.

Um médico (que demorou seis anos com estudo em tempo integral diariamente) deve estudar de quatro a cinco anos a mais em uma residência médica ( através de concurso público em escala de 60 horas semanais ) para formar se como angiologista ou cirurgião vascular / endovascular; não é por menos que seu trabalho tem uma diferença do não especialista.

Feliz Ano Novo, que 2017 venha com muita saúde para todos …..

Adaptado da SBACVedfisica-va

Busca



Publicidade