Lilian Knapp pede ajuda para gravar CD

Matérias - novembro de 2018

Ela foi musa da Jovem Guarda junto com Wanderléia. Suas canções embalaram muitos corações na vida real e nas novelas. A cantora Lilian (da dupla Leno & Lilian) completou 70 anos sorrindo para a vida. Sua voz doce ainda encanta não só pelas canções em seus shows, mas agora pelas redes sociais com vídeos motivacionais de dicas sobre assuntos diversos, isso influenciada pelo seu público que abrange o país todo e até no exterior. Num vídeo despretensioso na Praia do Pontal apenas dizendo que seu marido Cadu iria dar uma receita de um salmão, numa ‘Live’, ela teve 518 compartilhamentos, mais de 2 mil views e os comentários vinham de Goiânia, Anápolis, Jundiaí, uma penca de cidades do interior paulista, Fortaleza e até Alemanha!
Casada com o baterista e produtor musical Cadu Nolla há 28 anos teve sua vida exposta num domingo à tarde pelo apresentador Geraldo, do Domingo Show, da TV Record. Por coincidência, Lilian mora desde 2002 ao lado da emissora que já foi um enorme estúdio de Renato Aragão. O programa descobriu inclusive que Lilian doou, para o tratamento do neto, todo o dinheiro arrecadado com os direitos autorais da música “Devolva-me” na qual Adriana Calcanhoto regravou. “Foi coisa de Deus. Eu estava desesperada para ajudar João. E tomei um susto quando ouvi a voz dela cantando minha música. Não foi muita grana não, mas o suficiente para comprar uma série de produtos e equipamentos que ajudava o meu neto na época.
Na verdade, um dos produtores do programa descobriu a linda ação de Lilian que pedia através de um link de crownfunding(uma espécie de vaquinha virtual) para que arrecadasse fundos para ajudar o neto que completou 18 anos, mora na Itália e sofre de uma síndrome que dentre os problemas, tem uma deformação na face. Longe que o rapaz seja infeliz ou esteja passando por problemas, só que ele necessita fazer, pelo menos, uma cirurgia por ano (já foram mais de 40) para tentar reconstruir o rosto e deseja continuar os estudos na Escócia (https://www.facebook.com/profile.php?id=508243865). Neste mesmo endereço consta a conta para depósito BRADESCO, AGÊNCIA: 3023-6, C/POUPANÇA: 1000112-9. Lilian também pede ajuda do público para gravar um trabalho novo e poder trabalhar.
O JORNAL DO RECREIO teve o prazer de ser recebido pela cantora que contou um pouco dessa história:
1) Como surgiu o convite?
R: Surgiu porque o programa descobriu o crownfunding, a tal vaquinha virtual para poder arrecadar fundos e gravar o EP(5 canções) com músicas minhas. Estúdio hoje é muito caro. E ainda preciso viu, só ir lá na minha página no facebook Lilian Knapp, ajudem!
2) Arrecadou muito?
R: Não o suficiente para gravar, mas quem doou está cadastrado e vai receber as canções. A conta está aberta.


3)Qual a sensação do reconhecimento dessa carreira em ouvir suas canções na voz de outros artistas?
R: Esse ano minha canção ‘Sou Rebelde’ que ganhei disco de ouro fez 40 anos! E estourou mesmo vendendo 3 milhões de cópias, hoje são likes e views né? Antes tinha que ter dinheiro e ir na loja comprar. Eu era habitué do Chacrinha (uma espécie de Faustão para lançar uma música). Quanto às canções eu fico toda boba. A ‘Devolva-me’ que a Calcanhoto me deu o prazer de gravar, me deu até um Troféu Imprensa e ela nem mudou muito a canção que fiz com meu parceiro Renato Barros. Ficou quase igual a versão original.

4)Falando da região, você está aqui em Vargem desde 2002, mas já morou na zona sul , Barra e Recreio e pegou toda essa transformação aqui né?
R: A maior parte da minha vida foi Copacabana, depois São Paulo e Brasília. Mas depois que eu conheci o CADU, passando umas etapas vim para cá mesmo em 1998. Encontrava os vizinhos na rua, o professor de pintura, era uma via só, iluminação precária, bem calmo. Isso no Recreio. Aí, vim para cá. Não tinha nada. A Bandeirantes era bem estreitinha. Mas no retorno antes da Copa é que senti mesmo a diferença. Mas foi para melhor. Parece Miami! Ah fui vizinha do TIM MAIA ali no final do Recreio aonde ele tinha um estúdio, mas tinha bode, boi, faisão, cabra(rsrsrs) E quando um animal entrava no estúdio não tinha gravação, engraçado não?
5)Você veio de uma geração onde o jovem era rebelde, pela essência da idade e pela época mesmo. Aproveitando sua canção, o jovem perdeu um pouco isso não?
R: Olha, não vejo a Jovem Guarda levantando essa bandeira não, só nos costumes, no cabelo, na roupa, na minissaia. Nos anos 70, a gente estava querendo é namorar, paz e amor e fomos recriminados por isso. E não me envergonho não. Os artistas que faziam esse papel, Gil, Caetano e etc eram mais velhos que a gente, já estavam na faculdade e isso fazia uma diferença enorme. Hoje, os jovens tem mais acesso à informação.
6) Não deve ser fácil para um artista que já fez 30 shows por mês e hoje ter diminuído, o artista envelhece com seu público, como consegue viver com isso?
R: Olha, juro, o meu público que envelheceu passou o que gostava para os filhos e isso passou a me acompanhar . A geração dos anos 2000 me segue. Os maiores sucessos da Jovem Guarda foram gravadas pelas maiores bandas de rock do país, aí se reciclou.
7)Como foi a repercussão do programa que revelou uma intimidade da sua família?
R:Olha, foi tudo ótimo. Respondo as pessoas até hoje. Foi maravilhoso rever minha filha depois 4 anos, falar com meu neto, a homenagem, rever a Perla, minha amiga dos anos 80. Imagina trazer a Perla do Paraguai e minha filha da Itália. Olha o trabalho! Teve um pouco de exagero em enaltecer o que fiz, no caso da doação, porque sou avó e não vejo nada demais, mas é televisão né? Avó é ser mãe duas vezes. Eles tiveram todos os cuidados em abordar o assunto e etc. Trouxeram até o maestro do meu disco do Nordeste para falar comigo, já que meu CD será lançado com ritmos nordestinos.

Busca



Publicidade