Uma feira no Dom Helio

Matérias - dezembro de 2018

Filho de peixe, peixinho é? Sim ou não, depende. Nem sempre um grande craque pode se tornar um grande jogador. Ele pode até jogar bola, mas daí a ser um destaque nos campos é uma outra história. E na música, um grande cantor, autor deverá ter uma prole compositora ou intérprete de sucesso? Temos grandes exemplos, sim, e nem precisamos citar. Na família mas famosa de Xerém e radicada na Barra há mais de década, mostra que essa tese é furada. A filha de Jessé Gomes da Silva Filho, o Zeca Pagodinho, Elisa Piquet, 26 anos, é formada em moda, tem uma marca própria de moda praia, (Balangan) e agora toca uma feira todos os meses no Espaço Dom Hélio, no simpático shopping Pedra de Itaúna.
O Aldeia Hit reúne um mix fantástico para agradar bolsos e gostos. Na verdade é apenas um início e já cresceu em apenas 6 meses. Ainda recém formada, quando precisou de um pequeno espaço para expor as ideias de faculdade, foi na casa dos pais que achou a oportunidade de ofertar suas criações. Hoje a Aldeia funciona mensal e já planeja ter outros espaços para expor, como uma Feira Hype, que iniciou há 30 anos na zona sul carioca.
__”Hoje a Aldeia é apenas um bebê, já que tem 6 meses. Mas em Janeiro voltaremos aqui ainda sem data marcada e mostrar esses excelentes produtos”, comemora a jovem empresária.
A feira tem de 30 a 60 expositores e produtos variados como artigos de praia, docinhos, pão de queijo, acarajé, estúdio de tatuagem e até artigos para cachorro e pets em geral. Destaque para ‘Roots Acessorios’, ‘Gigante Tattoo’, ‘A Vez do Pano’, ‘Complexo B’, ‘A Loja do Zeca’ e ‘Auxy Modas’. Você que está lendo esse artigo provavelmente terá perdido a de dezembro já que o Jornal do Recreio começa a ser distribuido dias antes do mes terminar e segue sendo distribuido. Mas se for um dos primeiros leitores, poderá ir de 01/12 a 06/12 na Av das Américas 11.391, das 10 H da manhã ás 22H.
“Só posso levantar as mãos pro céu/ Agradecer e ser fiel/ Ao destino que Deus me deu/ Se não tenho tudo que preciso/ Com o que tenho, vivo/ De mansinho lá vou eu! E lá vai Elisa. Com apenas 26 anos, reflete uma pesquisa realizada em 2008 pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM) que mostra que estamos na 13ª posição do ranking mundial de empreendedorismo, com uma média de 12 a cada 100 brasileiros realizando alguma atividade empreendedora e os empreendedores que buscaram a chamada oportunidade genuína, ou seja, iniciar uma atividade para obter maior independência, passaram de 38,5% em 2007 para 45,8% no ano passado.
O jovem empreendedor brasileiro é atento à evolução dos negócios como chave para se destacar no mercado competitivo. Esta preocupação engloba todas as camadas da sociedade, tanto aquelas guiadas pela necessidade, quanto as que se agarram às oportunidades, e é essa veia empreendedora que está cada vez mais em evidência no mundo dos negócios.

 

Busca



Publicidade