Pets ganham tapete de notícias

Matérias - janeiro de 2019

Quem acompanha as notícias aqui no Jornal do Recreio reparou que de uns meses para cá fica estampado na capa das edições do mês um alerta em amarelo para o leitor pegar somente um exemplar do jornal num dos nossos 18 pontos de distribuição. Isso porque havíamos detectado que em alguns pontos moradores exageravam na mão e pegava mais de um, em alguns casos um belo punhado. Talvez para algum passarinho ou gatinho querido da família, mas de fato, pegar mais de um sempre prejudica porque os anunciantes esperam que cerca de 15 mil leitores peguem um exemplar e vejam sua marca.
Mas existe uma luz no fim do túnel.
Descobrimos na ‘Banca do Scooby’, no condomínio Barra Sul, o proprietário Regis Mouzinho, de 47 anos, vende fardos de três quilos aproximadamente somente para os pets fazerem as suas necessidades e está fazendo o maior sucesso.
__”Primeiro pedi 10 e agora o pedido dobrou” lembra Scooby.
Isso influenciou outros donos de banca de jornal, como o da Via 9, em frente a padaria Rei do Recreio e a que fica na esquina da Benvindo de Novaes com Avenida das Américas , bem ao lado do supermercado Zona Sul. Cada kit custa R$15 apenas. Percebemos que são sobras de jornal de grande circulação e são assim vendidos como papel de jornal apenas. Nesse da foto era o de São Gonçalo, que não é distribuído aqui na região, mas em outros tinham exemplares do antes famoso Jornal do Brasil responsável por tantas notícias e furos de reportagem do passado. Uma pena.
Reginaldo acompanhou essa mudança no mercado do leitor. Há 20 anos trabalhando no mesmo ponto viu fila para vender as capas das Revistas Playboy, da editora Abril que foi vendida recentemente a um advogado. Scooby nos conta que na época as capas que mais fizeram sucesso foram as da Tiazinha”,

a atriz Suzana Alves; Adriane Gaslisteu; ‘A Feiticeira’ e da atriz Flávia Alessandra , a Rita de Cássia de “O Sétimo Guardião”. Casado com Jalva que também conheceu na banca, esse fã do rock metal tem Metalica e Iron Meiden como suas bandas favoritas e faz o que pode para continuar na banca e tentar se manter. Trabalhando diariamente de 6 H às 21 H não reclama de nada e segue firme forte vendendo seus produtos. O que ontem foram jornais, revistas e cigarros, hoje, são bebidas, artesanato, biscoitos e palavras cruzadas.

Busca



Publicidade